Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Ministério do Trabalho apresenta Relatório Anual do Observatório das Migrações Internacionais
Início do conteúdo da página

Ministério do Trabalho apresenta Relatório Anual do Observatório das Migrações Internacionais

Publicado: Quarta, 21 de Novembro de 2018, 16h33 | Última atualização em Quarta, 21 de Novembro de 2018, 19h26 | Acessos: 146

Em relatório, o Observatório das Migrações Internacionais (OBMigra) apresenta análise do cenário sobre a participação dos imigrantes do mercado de trabalho formal brasileiro, utilizando as bases de dados do Ministério do Trabalho, da Polícia Federal e do Ministério da Justiça. As análises feitas, além de servirem como insumo para a formulação de políticas públicas, auxiliam no aperfeiçoamento da política migratória brasileira. O estudo apresenta ainda dados de fluxos migratórios, estoque de migrantes no mercado de trabalho, empregabilidade entre outros diversos tópicos. 

Em relação a inserção dos migrantes qualificados no mercado de trabalho formal foram observadas algumas características e tendências como o fato de que entre 2010 e 2017 o mercado formal de trabalho qualificado seguiu o comportamento do mercado formal de trabalho brasileiro, que esteve condicionado às variações na conjuntura econômica. Neste sentido observou-se crescimento do volume de trabalhadores qualificados até 2014 seguido por retração a partir de 2015. As análises preliminares apontam para uma leve retomada no crescimento deste grupo de trabalhadores no primeiro semestre de 2018.

Apesar do crescimento ao longo do período analisado o peso da imigração qualificada na imigração total de trabalhadores formais caiu, o que se deve à baixa participação das novas nacionalidades – especialmente dos haitianos – dentre os trabalhadores qualificados.

O perfil dos imigrantes qualificados apresenta diferenças de acordo com as categorias utilizadas no estudo. Entre os trabalhadores altamente qualificados há maior participação de homens, trabalhadores brancos e com idade mais elevada, além daqueles com maior tempo de chegada. Já entre os demais trabalhadores qualificados aumenta a participação das mulheres, trabalhadores de cor preta, jovens e com menor tempo de chegada, aproximando este perfil do observado para a imigração total de trabalhadores.

Em 2016 houve uma queda na absorção de mão de obra migrante, inclusive entre os migrantes qualificados. Porém, com a retomada das atividades econômicas e produtivas, o primeiro semestre de 2018 indica um aumento na quantidade de migrantes com carteira de trabalho assinada, o que é possível observar também pelos dados do CAGED.

Para acessar o Relatório Anual 2018 completo clique aqui ou acesse o Resumo Executivo do relatório aqui.

 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página