Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Ministério do Trabalho aponta principais diferenças entre as bases do CAGED e da PNAD Contínua

Publicado: Quarta, 07 de Novembro de 2018, 16h56 | Última atualização em Segunda, 19 de Novembro de 2018, 18h35 | Acessos: 539

Ministério do Trabalho explica que é necessário ter cautela ao comparar os dados do CAGED com a PNAD Contínua

Em Nota Técnica, Ministério do Trabalho explica diferenças metodológicas existentes entre as bases de dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) e a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua). 

Apresentando as características de cada uma das bases, a Nota evidencia as especificidades no que se refere à natureza dos dados — que refletem diferentes cenários, ainda que ambos tratem sobre o universo de empregados e desempregados.      

 

Boletim de Mercado de Trabalho
O Boletim de Mercado de Trabalho é editado pela Diretoria de Estudos e Políticas Sociais do Ipea. Além da análise dos dados da Pnad contínua, a edição divulgada nesta quarta-feira conta com um estudo que mostra que mulheres jovens de baixa escolaridade são as que mais desistem de procurar emprego

Outro artigo aponta a reformulação no Sistema Público de Emprego, Trabalho e Renda (SPETR) como fundamental para a promoção da proteção social dos trabalhadores e a elevação das oportunidades de emprego no país. A principal proposta é o estabelecimento de escolha, por parte do trabalhador demitido, entre o saque do FGTS e o recebimento do seguro-desemprego. “Com isso, espera-se gerar um desincentivo ao tipo de demissão simulada, sobretudo na ótica do trabalhador dispensado, pois haveria um benefício a menos a ser acessado imediatamente”, afirma o pesquisador Sandro Pereira Silva, autor do estudo e técnico de planejamento e pesquisa do Ipea. 

O Boletim de Mercado de Trabalho conta, ainda, com análises sobre bancos comunitários de desenvolvimento; políticas públicas de inclusão socioeconômica de catadores e catadoras de materiais recicláveis; e liderança de mulheres em empreendimentos econômicos solidários, entre outros.

Confira a íntegra do Boletim Mercado de Trabalho nº 65

 

Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada

registrado em:
Fim do conteúdo da página