Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Censo Demográfico

Publicado: Quinta, 16 de Fevereiro de 2017, 11h15 | Última atualização em Quinta, 16 de Fevereiro de 2017, 11h17 | Acessos: 608

 

Contexto da pesquisa: trata-se de uma das primeiras pesquisas realizadas pelo IBGE. Inicialmente foi planejada quase exclusivamente com o objetivo de promover a contagem da população residente no território nacional. Ao longo do tempo, foi aprimorada, englobando outros temas, como características da população e condições de habitação domiciliar. O Censo constitui uma das mais importantes referências para a definição de políticas públicas, sendo fundamental para o trabalho dos Observatórios, particularmente para as análises estruturais. Nesse sentido, é uma pesquisa de abrangência temática ampla, compreendendo tanto características da habitação, do trabalho e rendimento, quanto características demográficas e de educação, migração, nupcialidade e fecundidade. Para muitos municípios brasileiros, o Censo Demográfico é a única base de dados que permite a investigação de todo o contingente de ocupados (assalariados e não assalariados) e desocupados.

Unidade de análise: domicílio, família e população residente.

Periodicidade de divulgação: decenal, com coleta nos meses de julho.

Amplitude da série histórica: há registro de censo demográfico realizado ainda no período colonial. Levantamento decenal desde 1940. Para efeito comparativo, é muito comum o uso dos censos de 1991, 2000 e 2010.

Abrangência geográfica: nacional.

Nível de desagregação geográfica dos resultados: municipal, com possibilidade de desagregação intramunicipal (a partir dos microdados) sujeita a critérios de significância estatística (ver seção Características metodológicas). Possibilidade do georreferenciamento da informação intramunicipal.

Características metodológicas:

Universo e amostra: no Censo Demográfico são aplicados dois tipos de questionário.

  1. Questionário básico, com cerca de 40 quesitos e aplicado a todas as unidades domiciliares. Investiga características básicas dos domicílios e de seus moradores.
  2. Questionário da amostra, com aproximadamente 110 quesitos e aplicado a unidades domiciliares selecionadas probabilisticamente. Além dos itens do questionário básico, são investigadas outras características dos domicílios, como informações sociais, econômicas e demográficas específicas para cada um dos moradores.

Com isso, a base de dados do Censo Demográfico está distribuída em duas partes: a do universo, formada pela parte comum dos dois tipos de questionário e cujas informações estão acessíveis somente através do Sistema IBGE de Recuperação Automática (Sidra); e a parte amostral, disponível nos Resultados Gerais da Amostra do Sidra e nos microdados.

É importante destacar que pode haver mudanças nos quesitos investigados entre diferentes Censos, de modo que algumas informações podem não ter comparação.

Nível de desagregação geográfica dos resultados: o menor nível de desagregação exigido para a divulgação das informações do Censo são as áreas de ponderação, conjunto de setores censitários sobre os quais se aplicam os procedimentos de calibração das estimativas com base nas informações conhecidas para a população total. Os municípios são formados por uma ou mais áreas de ponderação, e cada uma dessas áreas teve uma fração amostral previamente determinada com o objetivo de garantir um tamanho amostral suficiente para a divulgação dos resultados e permitir a divulgação das estimativas até o nível de divisões administrativas intramunicipais (distritos e subdistritos). As frações amostrais aplicadas a cada uma das áreas de ponderação estão disponíveis em conjunto nos arquivos de microdados.

Informações sobre as famílias: uma vez que um mesmo domicílio pode conter mais de um núcleo familiar, as informações sobre famílias são obtidas com a seleção do arranjo familiar na indicação domiciliar.

Desagregação da informação e precisão das estimativas: por ser um procedimento amostral, ainda que os microdados permitam a desagregação das informações da base de dados, nem todas essas informações serão estatisticamente significativas. O pesquisador deverá seguir as recomendações das notas técnicas da base para o cálculo do intervalo de confiança, que assegurará a confiabilidade da informação.

População investigada para o tema trabalho: 10 anos ou mais de idade.

Semana de referência: última semana de julho.

Trabalho: abrange como atividade econômica o exercício de:

a) ocupação remunerada em dinheiro, produtos, mercadorias ou benefícios (moradia, alimentação, roupas, treinamento etc.) na produção de bens ou serviços;

b) ocupação remunerada em dinheiro, produtos, mercadorias ou benefícios (moradia, alimentação, roupas, treinamento etc.) no serviço doméstico;

c) ocupação sem remuneração na produção de bens e serviços, desenvolvida como ajuda na atividade econômica, no setor privado, de morador do domicílio;

d) ocupação desenvolvida na produção de bens, compreendendo as atividades da agricultura, pecuária, caça, produção florestal, pesca e aquicultura, destinados somente à alimentação de, pelo menos, um morador do domicílio.

Ocupados: pessoas que:

  1. a) na semana de referência, trabalharam durante pelo menos uma hora completa em algum trabalho;
  2. b) tinham trabalho remunerado do qual estavam temporariamente afastadas nessa semana.

Considerou-se como “ocupada temporariamente afastada de trabalho remunerado” a pessoa que não trabalhou durante pelo menos uma hora completa na semana de referência por motivo de férias, licença remunerada pelo empregador ou por instituto de previdência, falta voluntária ao trabalho, greve, suspensão temporária do contrato de trabalho, doença, más condições do tempo, quebra de máquina, limitação de produção ou qualquer outro impedimento independente da vontade da pessoa.

Trabalho principal: considerou-se como principal o único trabalho que a pessoa tinha na semana de referência. Para a pessoa que tinha mais de um trabalho na semana de referência, ou seja, para a pessoa ocupada em mais de um empreendimento nessa semana, adotaram-se os seguintes critérios, na ordem enumerada, para definir o principal:

  1. o trabalho principal era aquele ao qual a pessoa habitualmente dedicava maior número de horas por semana;
  2. no caso de igualdade no número de horas trabalhadas, o trabalho principal era aquele que proporcionava habitualmente o maior rendimento mensal;
  3. no caso de igualdade também no rendimento, o trabalho principal era aquele com mais tempo de emprego.

Pessoas desocupadas: considerou-se desocupada na semana de referência a pessoa sem trabalho nessa semana, mas que estava disponível para assumir um trabalho nesses sete dias e que tomou alguma providência efetiva para conseguir trabalho no período de referência de 30 dias, sem ter tido qualquer trabalho ou após ter saído do último trabalho nesse período.

Investigação do município de trabalho: essa pesquisa investiga se há distinção entre o domicílio de residência do indivíduo e a localidade onde ele efetivamente exerce a atividade laboral.

Classificação de ocupações: as ocupações foram classificadas utilizando-se a Classificação Brasileira de Ocupações Domiciliar (CBO-Domiciliar), que é uma adaptação da Classificação Brasileira de Ocupações (CBO) para as pesquisas Domiciliares. A CBO-Domiciliar se mantém idêntica à CBO no nível mais agregado (grande grupo) e reagrupa algumas famílias ocupacionais, subgrupos e subgrupos principais, considerando com precisão as dificuldades de sua captação em pesquisas domiciliares.

Classificação de atividades: as atividades foram classificadas utilizando-se a Classificação Nacional de Atividades Econômicas Domiciliar (Cnae-Domiciliar), que é uma adaptação da Classificação Nacional de Atividades Econômicas (Cnae 2.0) para as pesquisas domiciliares. A Cnae-Domiciliar se mantém idêntica à Cnae 2.0 nos níveis mais agregados (seção e divisão, com exceção das divisões do comércio em que não se distinguem o varejo e o atacado), reagrupa classes em que o detalhamento foi considerado inadequado para as pesquisas domiciliares e desagrega algumas atividades de serviços que têm nestas pesquisas sua única fonte de cobertura.

Rendimentos: as pesquisas domiciliares captam dois tipos de rendimento:

a) rendimento mensal do trabalho: para os empregados e trabalhadores domésticos, a remuneração bruta mensal a que normalmente teriam direito trabalhando o mês completo ou, quando o rendimento era variável, a remuneração média mensal referente ao mês de referência; para os empregadores e para os trabalhadores por conta própria, a retirada mensal normalmente feita ou, quando o rendimento era variável, a retirada média mensal referente ao mês de referência;

b) rendimento mensal de outras fontes: aposentadoria ou pensão de instituto de previdência do Governo Federal ou de outros institutos, aluguel, doação, juros de caderneta de poupança e de outras aplicações financeiras, entre outros rendimentos, nos quais estão incluídos os provenientes de programa normalmente recebido: programa oficial de auxílio educacional, como o Bolsa Escola, ou social, como Renda Mínima, Bolsa Família, PETI, Benefício de Prestação Continuada (BPC-LOAS), entre outros).

 

Formas de acesso:

Tabulações: http://www.sidra.ibge.gov.br/

Microdados: ftp://ftp.ibge.gov.br/

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página